Arquivo para julho \28\UTC 2009

oesteopoema

6 da manhã, 6 da seda tarde
sacristãos ostentando hóstias
não sacam que estão
osteoporosamente
celebrando a multiplicação da discórdia

* poema do nobilíssimo filho-da-puta flávio lemos, brother in arms.

Anúncios

sem refúgio

são paulo dos cidadãos-caramujo
cidade que não pode parar
mas o faz todos os dias
no trânsito

são paulo sem refúgio
cidade que chove
lágrimas de solidão
na intimidade forçada
do metrô lotado

são paulo conformada
com a pouca disponibilidade
do frio e do cinza
das falsas multidões
cidade insensível
que parece imune
à angústia de produzir
o fim do mundo