Arquivo para dezembro \30\UTC 2007

pseudópodes anônimos

eu que já fui

em tantas direções

e voltei 

por ora é só isso

cansei

Anúncios

flyers na relva

todo janeiro

eu sambo

o começo do

ano inteiro

inutensílio

escrevo como

quem prescreve

um banho frio

na neve

não falo uma língua

nem me alugo por temporadas

sou um inutensílio

e orgulhosamente me afirmo:

não sirvo pra nada

rabiscations

poeta no bom sentido

e além disso,

me sinto preciso

quando rabisco

via cruzes

depois de todos esses passos

e de tanto caminho

a minha volta,

enfim, espaços

foi sozinho

que concluí

(vivendo)

ser poeta é fácil

difícil é continuar

sendo

explícito

eu tô na cara

só não vê

quem não repara