Arquivo de setembro \03\UTC 2007

viver só

 

 

viver só

como quem só vive

pra se conhecer

melhor

 

viver só

como quem só vive

pra fazer tipo

já que é tudo

tão divertido

diferenças

 

 

a diferença

entre uma lula e um polvo

são dois braços

entre nós

é o fracasso

de uma despedida

sem abraços

“adeus!”

sem lenço branco

 

eu,

caindo pelos cantos

me escorando

na tua saudade

implorando por metades

de dois ou três

sonhos quaisquer

 

parei com isso,

pensei direito

meu único compromisso

é com o infinito

depender de você

é muito esquisito

ando pelo bairro (ao amigo-soldado flávio lemos)

 

 

 

 

ando pelo meu bairro

seguindo todos meus instintos

falhos

desviando dos espantalhos

amigos dos corvos

 

sangro pelo meu bairro

um sangue seco,

derramado

num mundo seco,

imaginário

desviando de espantalhos

amigos dos corvos

 

fui feito de outro barro

meu verso é feito de soco

e eu nem tenho outra cara

sigo andando

pelo meu bairro

catando o tanto de palha

que fica no chão

sempre de olho

nos espantalhos

amigos dos corvos

dessa multidão