Arquivo para fevereiro \10\UTC 2006

de lá será

não será por pouco
nem por muito
mas virá
dirá
será

não sei
de onde vem
mas dilacera
e de lá
serará

só não sejamos
tontos
nem tantos
tentando
qualquer coisa

nem velemos
esses natimortos
carros engarrafados
loucos, bêbados, putas
e outros despedaçados

não comamos grama
nem milho
sejamos humanos
sem motivo

Anúncios

insônicas

eu sou apenas um sonhador
mas você é só um sonho
e me confunde pacas

daí que eu fico nessas
escrevendo no céu
lavrando palavras
e de repente amanhece

113949477024294083

RIO VERMELHO

o homem pesca
a dor
em si mesmo
o mar

113940295489303014

DES

entre urbanóides
eu e meus alcalóides
lemos tablóides
que blefam

me desculpem
a paisagem interna
me parece mais séria

113940285787431612

RUMINO

às vezes existo
vazio, vasto
às vezes
berro
às vezes pasto

Poesia (no bom sentido)

O FIM ESTÁ PRÓXIMO

poeta, louco e vagabundo
sei que o lirismo desses versos
ainda vai salvar o mundo